Volver a la pagina anteriorVOLVER 


Tejeda

Datos geográficos. O município de Tejeda encontra-se assentado no sector centro-oriental de Gran Canaria, com uma superfície de aproximadamente 104 quilómetros quadrados e a uma altitude de 1.050 metros sobre o nivel do mar no centro, registrando a altitude máxima da ilha, com 1.949 m de altura no Pico de las Nieves. Desde qasi todos os pontos do município de Tejeda, já que está situada no centro da Ilha, pode-se contemplar os símbolos geológicos da ilha: o Roque Nublo (1.813 m), e o Roque Bentayga, centro de actividade religiosa na época prehispânica. Estas cumbres coroam a grande depressão geográfica de Tejeda, surgida de uma imensa caldeira de fundimento, lavrada pelas águas e inundada pelos vulcões. Sobre Tejeda se levanta uma montanha coroada por diversos montes, além dos já citados anteriormente. O ambiente natural de Tejeda conta com extensões de pino canário, que actualmente compartem espaço com os vestígios daquela que foi uma enorme colónia de amêndoas.

Historia.Uma vez finalizado o período das monarquias com os guanartematos, na ilha se instaurou um sistema feudal que a dividiu em diferentes “estados”, a frente de cada um dos quais se encontrava um caudilho. Tejeda se encontrava governada por Texeda, de onde se acha que provém o seu nome. Por esta razão, podem-se encontrar no Roque Bentayga, monumento natural de Tejeda, diferentes jacimentos arqueológicos, entre os que se encontra um Almogarém. Todos estes vestígios permitem pensar que antes da conquista esta zona aglutinou a uma população numerosa. Os conquistadores de Gran Canaria, após chegar a esta zona interior da ilha, iniciaram a repartição das terras e águas. Após finalizar o processo de conquista, em meados do século XVIII, em Tejeda já se superou a cifra de um milhar de habitantes. Porém, a zona de Tejeda estava longe e mal comunicada com respeito aos centros administrativos e económicos, pelo que viver nesta zona apresentava certos inconvenientes. Assim, em princípios do século XVII, a longitude obrigou a Tejeda a ter um próprio padre, e convertir a capela em Parroquia nuclear de uma grande parte da zona occidental; das cumes e medianias de Gran Canaria. Durante os séculos XVI e XVII a base económica desta zona se sustentava sobre três pilares, a agricultura, na que se destacava os cultivos de trigo, milho e batata, o gado, com a ovelha e o cabrito e a exploração do bosque. Graças à riqueza hidráulica que se apresentava nesta zona, a massa forestal era importante, pelo que parte das terras desta comarca permaneciam aínda nas mãos da Coroa. Nos séculos XVIII e XIX levaram-se a cabo roturações ilegais. Isto foi consequência da cada vez maior necessidade de conseguir terrenos de cultivo devido principalmente a um aumento da população.

Festas. O fruto mais característico de Tejeda dá nome as suas principias festas: As festas da Amêndoa em Flor. Estas festividades, que têm lugar durante as duas primeiras semanas do mês de Fevereiro, foram organizadas nas suas origens pelos jóvens do município, festejando a sua primeira edição em 1970. Criadas como uma maneira de conservar e difundir aspectos da cultura e da tradição próprias do município e da ilha, nelas deu-se lugar ao mais representativo do folclore canário: a música tradicional, a dança, o artesanato, os desportos autóctonos, feiras de gado e agrárias e uma demostração de faenas típicas que constituem as delícias de Tejedenses e visitantes.

 
Volver a la pagina anteriorVOLVER 
©Portaltur v1.0 2005   Aviso legal | Política de Privacidade | Informaçaõ Geral | Adicionar aos favoritos
Interreg III B - Feder